A jogada do PT ao oficializar candidatura de Lula

Ao logo de quase 14 anos no poder o Partido dos Trabalhadores (PT) aprendeu a jogar, e diga-se de passagem, muito bem. Souberam até transforma programas sociais de outro governo em seu maior carro-chefe para se manter no poder. Esse é o PT, que agora, tenta a sua grande jogada após o seu maior patrimônio ‘o Lula’ ser condenado e impedido de disputar a eleição de outubro.



Nos bastidores petista, agilidade da cúpula é surpreendente, ao seguir com a candidatura e ignora a decisão do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª região), que condenou o ex-presidente, fechando praticamente as porta de uma possível candidatura. A estrategia é ampliar a vantagem de Lula nas pesquisas de opinião pública, para provocar ‘Órgãos Internacionais’ a lançar dúvida sobre o judiciário brasileiro, acusando-o de tomar decisões por motivação política.
Não há dúvida da capacidade dos petistas em lançarem esse contra-ataque, a raízes esquerdistas espalhados pelo mundo em ONGs e entidades internacionais que possam pressionar o governo brasileiro, com manifestações contra o sistema judiciário e pondo dúvida sobre a nossa democracia.
De fato, se Lula continua a disparar nas pesquisas de opinião, e for impedido ou até preso, a pressão internacional virá, já que esse órgãos são ligados a governos e tem forte influência em seus países. Mas para isso, o ex-presidente terá que continuar a desafiar o judiciário a provar seus crimes com documentos cabais.




O inicio do Jogo
Para demonstrar sua capacidade de reação, um dia após de ter sido condenado em segunda instância por corrupção com 12 de prisão. Em uma reunião da executiva, da qual participaram governadores, senadores e deputados do partido, a presidente do PT, Gleisi Hoffman, colocou a proposta de pré-candidatura em votação. “Foi aprovada por unanimidade a pré-candidatura dele. Não temos plano B”, disse Gleisi.
Lula participou da reunião, discursou, disse que recorrerá às instâncias em for necessário recorrer e responderá às acusações com base na Lei da Ficha Limpa. “Vamos batalhar até o final”, declarou. O ex-presidente se disse ainda alvo de um “cartel” com o objetivo de impedir que dispute a eleição. “Eles formaram um cartel para tomar uma decisão, para evitar o Lula ser candidato. Se eles tivessem encontrado um crime que eu cometi eu estaria aqui pedido desculpas”, declarou o ex-presidente.
Com a candidatura em pratica, o PT deve seguir seu plano de ofensiva ao judiciário, mobilizando seus seguidores e simpatizantes a gera ataques contra os seus algozes, provocando manifestações árduas pelas ruas do país.
Agora, a carta petistas não está mais na manga, foi lançado a sorte, se Lula será candidato ou não é uma incógnita. Certo, que até lá o ex-presidente e seu partido vão continua a investir contra o sistema judiciário, levantando dúvidas sobre sua condenação e motivando os brasileiros a acreditarem na sua inocência.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *