No Congresso, policiais legislativos são presos por alertarem senadores sobre escutas

Agentes da Polícia Federal estão no Congresso na manhã desta sexta-feira (21) em uma investigação de contrainteligência. Eles foram cumprir a prisão temporária de quatro policiais legislativos, acusados de atrapalhar a Operação Lava Jato.
Um policial legislativo contou, em delação premiada, que um diretor da Polícia Legislativa mandava policiais fazer um serviço de contrainteligência. Ou seja, os agentes legislativos iam até as casas dos senadores investigados pela Lava para identificar escutas autorizadas pela Justiça.
Veja Também: 
Janot volta acusar senador Collor por corrupção em contratos na subsidiária da Petrobras 
Juiz Moro autoriza Alberto Youssef a deixar a cadeia
A ação tem como um dos alvos policiais legislativos, entre eles o diretor da Polícia do Senado, Pedro Ricardo Carvalho, homem de confiança do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).
Houve busca e apreensão nas dependências da Polícia Legislativa, no subsolo do prédio do Senado. A Justiça autorizou a condução coercitiva do diretor da PL Carvalho.
Conforme informações preliminares, nenhum gabinete de senador foi alvo da ação nesta manhã. A Polícia Federal desmentiu informação de que teriam entrado no gabinete ou na casa do senador Fernando Collor (PTC).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *