PCC e Família do Norte fizeram pavorosa matança, diz Temer

O presidente Michel Temer mudou o tom do seu discurso ao falar sobre as chacinas em penitenciárias brasileiras. Depois de considerar os ataques no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) um “acidente pavoroso”, ele afirmou nesta quarta-feira (11) que as facções Família do Norte e PCC promoveram uma “pavorosa matança” em presídios, baseadas em “códigos próprios”.
O presidente disse ainda que as duas facções se constituem “numa regra jurídica fora do Estado”. Na manhã de hoje, Temer abriu a reunião do núcleo de Infraestrutura no Palácio do Planalto. 17 chefes de facções começaram a ser transferidos de Manaus para presídios federais.
“O meu desejo era de que daqui a alguns anos não haja necessidade de anunciar a construção de presídios, mas só escolas, postos de saúde, etc, mas o Brasil ainda tem um longo caminho. No momento, a realidade que nós vivemos exige naturalmente a construção de presídios para também retirar as condições, convenhamos, desumanas, em que os presos se acham”, disse o presidente, ao destacar a superlotação de presídios brasileiros.
“Veja que eles têm até preceitos próprios e, para a surpresa nossa, até quando fazem aquela pavorosa matança, o fazem baseado em códigos próprios. Então, essa é uma questão que ultrapassa os limites da segurança, para preocupar a nação como um todo”, ressaltou o presidente. Na semana passada, o governo antecipou o anúncio do plano nacional de segurança. Entre os pontos está a redução em 15% da superlotação dos presídios.
Novos Presídios
Na semana passada, quando classificou o massacre no Amazonas como um “acidente pavoroso”, Temer informou que o governo irá construir um presídio de segurança máxima em cada região do país. Um ficará no Rio Grande do Sul, os demais locais ainda não foram divulgados. O total de vagas que seriam criadas nas novas unidades federais é de cerca de mil, o que reduziria em apenas 0,4% o atual deficit.
Segundo Temer, as penitenciárias fazem parte de um plano de segurança que vinha sendo gestado há muito tempo no Ministério da Justiça. Além dos cinco presídios federais, serão construídas outras 25 unidades estaduais, que abririam mais 20 mil vagas. O valor total que será destinado é de R$ 900 milhões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SiteLock