‘Nunca chorei tanto’, diz Padre Fábio de Melo sobre síndrome do pânico

Depois de contar a Otaviano Costa que sofria de síndrome do pânico em entrevista para a Rádio Globo, o padre Fábio de Melo fez um desabafo, nesta sexta-feira, em seu perfil no Instagram. “Há 3 meses, enfrentei um problema grave familiar. Desde então, parei de dormir direito e passei a enfrentar uma angústia muito grande. Há 20 dias, tive sintomas de síndrome do pânico, diagnóstico que já tinha tido dois anos atrás e que superei muito rapidamente na época”, escreveu.
“Desta vez, foi muito diferente. Fiquei praticamente uma semana trancado em casa, com sensação de morte, tristeza profunda e medo de tudo. Nunca chorei tanto na minha vida”, continuou o padre.
O padre contou que recebeu uma indicação de psiquiatra e que está fazendo tratamento. “Os medicamentos fizeram uma enorme diferença. Tenho conseguido cumprir meus compromissos e procurado fazer uma rotina mais leve que me permita estar entre amigos que amo. Estou me sentindo bem melhor, ainda que não me sinta inteiro.”
O padre Fábio de Melo terminou a postagem agradecendo pelo carinho dos fãs e prometendo que falará mais sobre o assunto “quando estiver mais inteiro”.

Meus queridos amigos, Saibam por mim o que sobre mim é verdade. Há 3 meses enfrentei um problema grave familiar. Desde então parei de dormir direito e passei a enfrentar uma angústia muito grande. Há 20 dias tive sintomas de síndrome do pânico, diagnóstico que já tinha tido 2 anos atrás e que superei muito rapidamente na época. Desta vez foi muito diferente. Fiquei praticamente uma semana trancado em casa, com sensação de morte, tristeza profunda e medo de tudo. Nunca chorei tanto na minha vida. Meu amigo e médico Dr. Víctor Sorrentino recomendou-me uma psiquiatra de sua confiança. Desde então estou fazendo um tratamento. Os medicamentos fizeram uma enorme diferença. Tenho conseguido cumprir meus compromissos e procurado fazer uma rotina mais leve que me permita estar entre amigos que amo. Estou me sentindo bem melhor, ainda que não me sinta inteiro. Agradeço muito o carinho de todos vocês e também dos jornalistas que nos procuraram querendo tratar com respeito e profissionalismo o que tenho enfrentado. Quando estiver mais inteiro eu falarei mais sobre o assunto, pois sei que minha partilha poderá ajudar os que enfrentam o mesmo problema que eu. Por ora é viver, buscar o equilíbrio que Deus me concede através das escolhas que posso fazer. A foto escolhida para este post não é por acaso. Ela é expressão da leveza que quero sempre levar comigo.

Uma publicação compartilhada por pefabiodemelo (@pefabiodemelo) em

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SiteLock