Marcelo Calero poderá ser investigado por gravar conversas com presidente Temer

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG) e Líderes partidários defenderem nesta sexta-feira que o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero seja investigado por supostamente ter gravado conversa com o presidente Michel Temer.”Há algo aí de extremamente grave e que também tem que ser investigado, o fato de um servidor público, um homem da confiança do presidente da República, com cargo de ministro de Estado, se confirmado isso, entrar com um gravador para gravar o presidente. Isso é inaceitável, é inédito na história do Brasil” disse Aécio.
Para o tucano, Calero poderia, ao gravar deliberadamente Temer, induzir a conversa de forma a prejudicá-lo.
“Isso permite a todos nós achar que nessa conversa ele tenha induzido qualquer palavra do presidente. Isso tem que ser investigado porque parece ato passível de punição ” defendeu.
Sobre a pressão de Geddel Vieira Lima, que nesta sexta-feira se demitiu do cargo de ministro, em cima de Calero para ajudá-lo em questões pessoais, Aécio tergiversou. Disse que qualquer ação caberia ao presidente Michel Temer.
O ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB) minimizou a possibilidade de pedido de impeachment do presidente Michel Temer pelo PT e outros partidos de oposição ao governo no Congresso. Segundo Bruno, todos os ex-presidentes foram alvo de pedidos desse tipo, mas eles só avançam se há viabilidade política. O tucano também criticou a atitude do ex- ministro Marcelo Calero de gravar a conversa com o presidente Michel Temer.
“No Congresso se pediu impeachment de todos os presidentes, desde Itamar Franco e até do presidente Michel Temer. Mas as coisas andam no Congresso quando há efetividade política” disse Araújo, acrescentando:
— O momento é de ajudar o país, ter unidade nesse momento de profunda crise.
Segundo o ministro tucano, foi no mínimo falta de civilidade a atitude de Calero de gravar Temer :
“Não me parece uma atitude no mínimo civilizada, mas cada untem suas posições e assume a responsabilidade pelos seus atos.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *