Lula, Huck, Barbosa, Bolsonaro e Marina até agora, é tudo que temos?

Fica uma pergunta no ar: 2018 será um ano na política para esquecer ou para comemorar?, difícil prevê o futuro da política brasileira com surgimento de nomes que sequer tenha experiência de gestão ou política para lidar com o jogo de poder.
Depois Bolsonaro, Huck agora é a vez do ex-presidente da Suprema Corte Joaquim Barbosa, conhecido como homem de pavio curto e com pouca aptidão para lidar com políticos, como outrora declarou a imprensa seu repudio para com a classe política.



Mesmo elogiando o PSB em conversas com interlocutores (“Os partidos no Brasil têm donos; o PSB me parece não ter”), Joaquim Barbosa só aceitará ser o candidato a presidente da República com carta branca.Segundo publicação da coluna Lauro Jardim do O Globo.
O ex-presidente do STF, Barbosa se encontrou com os chefes da legenda no dia 8, em Brasília. Disse a eles que não se interessa “em ser vice de ninguém”.
Barbosa acredita que uma aliança com a Rede pode resultar numa chapa harmônica será que com Marina Silva de sua vice?
Joaquim Barbosa ainda repete a interlocutores que sua tendência é não ser candidato a nada (“preciso refletir se estou disposto a uma mudança tão radical na minha vida”), mas o fato é que nunca esteve tão aberto a discutir a possibilidade.




Ao PSB disse que fará agora uma longa viagem ao exterior. E prometeu dar uma resposta definitiva entre “final de janeiro e início de fevereiro”.
Outro que vêm surfando nas ondas das aventuras na política, e já pensando no andar de cima, tá o apresentador Luciano Huck, que tudo indica que ele será a estrela maior do PPS em 2018, o namoro com o partido virou caso sério, e sua candidatura e dado com certo para cúpula da legenda.
Huck, já é alvo de críticas, por não deter experiência de gestão e muito menos habilidade na política para lidar com o Congresso Nacional caso seja eleito. O apresentado já foi comparado a ex-presidente Dilma, que chegou ao poder sem experiência e o resultado final, foi o impeachment acompanhado com uma profunda crise econômica no país.
Na mesma prancha das aventuras esta o polêmico Jair Bolsonaro, que chegou a declarar para imprensa que ‘não sabe nada de economia’, mas mesmo assim quer ser presidente do Brasil. Bolsonaro chegou a ser ridicularizado pela revista britânica The Economist, chamando de ‘demagogo de direita’ e ‘menino travesso’, além de compara-lo com a versão piorada do presidente dos EUA, Donald Trump.
Na outra ponta está a conhecida ex-senadora petista, Marina Silva, com conhecimento aprofundado na política, porém sem nenhuma habilidade de gestão pública, levando a suspeita se Marina, seria capaz de conduzir o país em momentos de crise econômica ou política.




No ninho tucano, a disputa é acirrada tem nomes bons e em alta, só que até o momento sem definição, João Doria tenta golpear seu padrinho político o governador Geraldo Alckmin, até mesmo, provocando um racha dentro do PSDB, o prefeitos de São Paulo, vem conquistado uma ala dos Democratas, enquanto Alckmin patina sem carisma nas região Norte e Nordeste reduto forte do petista Lula.
Sem bons nomes para 2018, o ex-presidente Lula, vê a maré a seu favor e aproveita a inexperiência dos seus concorrente ao Palácio do Planalto, para desfilar como a melhor opção para país, mesmo com denúncia pesadas e com ameaça de prisão caso seja condenado pelo TRF4. mesmo assim, o petista segue sua jornada como discurso do presidente que tirou o Brasil da crise quando governou. A seu favor, as pesquisa que o coloca em primeiro lugar, e acredite levantamento interno indica melhora nos índices do petista.
Diante do atual cenário que desenha para 2018, os brasileiros devem decidir se partem para uma aventura ou riscam colocar no topo do poder um político acusado de corrupção. Até o momento essa é opção. Seja o que Deus quiser!!!!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SiteLock