Líder supremo do Irã promete resposta pelos protestos

O líder supremo do Irã atacou os Estados Unidos e a Grã-Bretanha e prometeu responder contra potências estrangeiras que ele acusou de tentar derrubar a República Islâmica.
O aiatolá Ali Khamenei também criticou Donald Trump na terça-feira, acusando o presidente dos Estados Unidos de ser “um homem muito instável” que exibiu “episódios extremos e psicóticos”.



O Irã diz que tem ‘evidências difíceis’, as recentes manifestações mortais foram ‘muito claramente dirigidas do exterior’.
“As autoridades dos EUA devem saber disso, em primeiro lugar, eles perderam seu alvo … Em segundo lugar, eles infligiram danos ao Irã nos últimos dias, e eles devem saber que isso não será deixado sem uma resposta”, disse líder Supremo Khamenei no Twitter.
“Mais uma vez, a nação diz aos EUA, Grã-Bretanha e aqueles que procuram derrubar a República Islâmica do Irã do exterior que ‘você falhou e você também falhará no futuro’, disse o Líder Supremo.
Pelo menos 22 pessoas foram mortas e cerca de 3.700 presos após protestos anti-governo entraram em erupção na segunda maior cidade de Mashhad, em 28 de dezembro, e se espalharam rapidamente por todo o país.
Autoridades iranianas acusaram a CIA e o Mossad de Israel de planejar a agitação, alegando também que a Arábia Saudita financiou a operação.
O diretor da CIA Mike Pompeo disse que as alegações de que sua agência de inteligência estava envolvida nas manifestações do Irã eram ‘falsas’.
“Foi o povo iraniano … iniciado por eles, criado por eles, continuou por eles exigindo um melhor conjunto de condições de vida e uma ruptura com o regime teocrático que esteve com eles desde 1979”, disse Pompeo à Fox News no domingo.
O líder Supremo Khamenei também desafiou a afirmação de Trump de que o establishment do Irã estava assustado pelo poder americano.




“Se estivéssemos tão aterrorizados com você, como nós o expulsamos do Irã no final dos anos 70 e enviamos suas embalagens para fora de toda a região nos anos 2010?” disse o líder supremo.
No auge dos protestos, Trump descreveu o Irã como o “Número Um do Terror Patrocinado com numerosas violações de Direitos Humanos ocorrendo em uma base horária”.
Mais tarde, ele falou : “O povo do Irã está finalmente agindo contra o regime iraniano brutal e corrupto”.
Um aliado íntimo de Israel e Arábia Saudita os principais inimigos do Irã a administração Trump denunciou a influência iraniana no Oriente Médio e ameaçou retirar-se do acordo nuclear internacional com o Irã.
Espera-se que o governo dos EUA anuncie nos próximos dias se ele irá recertificar o acordo marco 2015 envolvendo a China , a Rússia, a Alemanha, a França e o Reino Unido para reduzir o programa de armas nucleares do Irã.
Trump chamou o acordo nuclear “o pior nunca”, embora a Agência Internacional de Energia Atômica tenha afirmado que Teerã cumpriu o acordo.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *