Sócio de filho de Lula pediu para a Oi instalar antena em sítio de Atibaia

%name Sócio de filho de Lula pediu para a Oi instalar antena em sítio de AtibaiaOs papéis enviados pela empresa à força-tarefa da Operação Lava Jato são os primeiros indícios documentais obtidos na apuração criminal que revelam a ligação entre pessoas próximas a Lula e a colocação do equipamento.
A antena reforça a suspeita, apontada por testemunhas ouvidas pela Folha e depoimentos colhidos pelo Ministério Público, de que uma espécie de consórcio informal de empresas dirigidas por amigos de Lula bancou melhorias no sítio.
Aos procuradores da Lava Jato que conduzem a investigação sobre a antena, a Oi apresentou um e-mail enviado por Kalil Bittar, sócio na Gamecorp de Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, e irmão de Fernando Bittar, dono do sítio no papel. A Oi se tornou sócia da Gamecorp em 2005.
Na mensagem enviada para a Oi em março de 2011, cerca de dois meses após o ex-presidente começar a usar a propriedade rural, Bittar afirmou à empresa que “seria importante velocidade” na instalação do equipamento.
Uma investigação criminal específica sobre o tema teve início em fevereiro passado, no mesmo dia em que a Folha informou que um amigo de Lula e funcionário da Oi, o ex-sindicalista José Zunga Alves de Lima, fez gestões internas na empresa para que o equipamento fosse montado como um “presente” para Lula, no final de 2010.
O Ministério Público Federal queria saber como foi o processo na Oi, do pedido à instalação. A operadora encaminhou ofício a procuradores da Lava Jato na qual aponta que a “iniciativa para implementação da antena surgiu de uma correspondência eletrônica enviada para a companhia” em março de 2011.
Nessa mensagem, Bittar indica a região próxima ao sítio de Atibaia a Marco Schroeder, então diretor da Oi e hoje presidente, e afirma: “Abaixo, o local que não tem cobertura de nenhuma operadora… Aliás, estranho, os acessos não são difíceis, próximo à [rodovia] Fernão Dias, e com condomínios e clubes de alto poder aquisitivo”. No final do e-mail, o empresário aponta que “seria importante velocidade nisso”.
Segundo os papéis entregues pela Oi à equipe da Lava Jato, cerca de dois meses após a mensagem já estavam prontos os primeiros estudos técnicos para colocação da antena. Ela começou a operar já em setembro de 2011.
A companhia informou que o custo para instalação foi, em valores atualizados, de cerca de R$ 670 mil.
POTENCIAL
Para justificar a instalação, a Oi disse aos procuradores que os estudos mostraram que haveria clientes suficientes para o investimento. Também informou que recebe dezenas de pedidos semelhantes desde 2011 e que boa parte foi atendida.
Nos documentos, a tele afirmou que atualmente cerca de 150 usuários utilizavam os serviços de telefonia no entorno dessa antena.
Nenhuma outra empresa que presta serviço em Atibaia tem antena instalada na zona rural. Atualmente, por lei, as teles são obrigadas a instalar antenas para garantir que 80% da área do município tenha cobertura de sinal.
Na época, a legislação não fazia essa exigência.(Folha)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *