Exército japonês em alerta, após míssil da Coreia do Norte passa pelo país

A Coreia do Norte disparou um míssil que passou no norte de Japão no início da terça-feira, informou o governo japonês, que colocou seu Exército em alerta total.
O sistema de alerta do governo J-Alert aconselhou as pessoas na área a tomar precauções, mas a emissora pública NHK disse que não havia sinais de danos e informou que o míssil se partiu em três peças e caiu nas águas de Hokkaido.
Os militares japoneses não tentaram derrubar o míssil, que passou pelo território japonês em torno de 6:06 da hora local.
A Coreia do Norte disparou um míssil no início da terça-feira, que voou sobre o Japão e desembarcou nas águas do Pacífico ao norte da região de Hokkaido, Coréeia do Sul e Japão, em uma aguda escalada de tensões na península coreana.
O último projétil norte-coreano para voar sobre o Japão foi em 2009. Os Estados Unidos, o Japão e a Coréia do Sul consideraram que esse lançamento foi um teste de mísseis balísticos, enquanto a Coréia do Norte disse que era um foguete que transportava um satélite de comunicações em órbita.
O exército da Coreia do Sul disse que o último míssil foi lançado da região de Sunan, perto da capital da Coréia do Norte, Pyongyang, pouco antes das 6 da manhã (horário local) e voou 2.700 km (1.678 milhas), atingindo a altitude de cerca de 550 km.
O secretário do gabinete do Japão, Yoshihide Suga, disse que o míssil norte-coreano caiu no mar 1,180 km a leste do Cabo de Erimo no Hokkaido.
“É uma ameaça sem precedentes, séria e grave para nossa nação”, sugeriu um relatório, acrescentando que o governo protestou contra o movimento nos termos mais fortes.
Suga disse que o lançamento foi uma clara violação das resoluções das Nações Unidas e o Japão trabalhará em estreita colaboração com os Estados Unidos, Coréia do Sul e outros países preocupados com uma resposta, disse ele.
O Pentágono confirmou que o míssil voou sobre o Japão, mas não representou uma ameaça para a América do Norte e disse que estava reunindo mais informações.
O lançamento marca uma escalada acentuada nas tensões sobre a busca por Pyongyang de armas nucleares e mísseis balísticos, desafiando as sanções da ONU.
O líder norte-coreano Kim Jong Un no início deste mês ameaçou disparar mísseis no mar perto do território pacífico dos EUA em Guam e o presidente dos EUA, Donald Trump, alertou que Pyongyang enfrentaria “fogo e fúria” se ameaçasse os Estados Unidos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *