EUA abandona a UNESCO após adesão aos palestinos

UNESCO, a agência cultural e educacional das Nações Unidas, lamentou hoje a decisão oficial dos Estados Unidos de deixar sua organização.
“Depois de receber uma notificação oficial do Secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson, como Diretor-Geral da UNESCO, desejo expressar um profundo arrependimento com a decisão dos Estados Unidos da América de retirar-se da UNESCO”, disse a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova em um comunicado.
Bokova acrescentou que a decisão dos EUA marcou uma perda para o multilateralismo e para a família da ONU.
Os Estados Unidos cancelaram o seu contributo orçamental substancial para a UNESCO em 2011 em protesto contra a decisão de conceder aos palestinos a adesão plena.
Irina Bokova, diretor-geral extrovertido da UNESCO, disse que “lamenta profundamente” a decisão e está convencida de que “a UNESC nunca foi tão importante para os EUA, ou os EUA para a UNESCO”, desde o surgimento do que chamou de extremismo violento e terrorismo em o mundo.
A UNESCO é mais conhecida pelo seu trabalho de preservação do patrimônio, incluindo a manutenção de uma lista de sites do Patrimônio Mundial e programas de promoção da educação nos países em desenvolvimento.
Nauert disse que o departamento estadual notificou Bokova da sua decisão no início da quinta-feira.
“Esta decisão não foi tomada de forma leve e reflete as preocupações dos Estado Unidos com o aumento das dívidas na UNESCO, a necessidade de reformas fundamentais na organização e o viés anti-Israel na UNESCO”, disse ela em comunicado.
A administração de Donald Trump também está revisando muitos dos seus compromissos multilaterais, buscando o que ele chama de política externa “América Primeiro”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SiteLock