Os encontros de Raquel Dodge com os adversários de Janot

Depois de se reunir com Michel Temer fora da agenda oficial do presidente, a subprocuradora Raquel Dodge, indicada pelo próprio Temer para a sucessão do procurador-geral Rodrigo Janot, tem reunião nesta quarta-feira com o ministro Gilmar Mendes, integrante do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A agenda de Gilmar, que afirma que a pauta é “o crime organizado nas eleições”, comete “gafe” e chama a subprocuradora de “ministra”.
gaf Os encontros de Raquel Dodge com os adversários de Janot
Gafe: Na agenda do ministro Gilmar Mendes, subprocuradora Raquel Dodge era chamada de ‘ministra’
Também vão participar da reunião o ministro da Defesa, Raul Jungmann, e o ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência, Sérgio Etchegoyen. Ambos são homens de confiança de Temer.
ENCONTRO COM TEMER
Na noite da última terça-feira, por volta de 22h, a futura procuradora-geral da República encontrou-se com o presidente no Palácio do Jaburu, residência oficial da Vice-Presidência da República e onde Temer decidiu permanecer. A reunião não constava na agenda oficial da Presidência.
Segundo a assessoria do Palácio do Planalto, o encontro teria sido para discutir a posse da subprocuradora, que a partir do dia 18 de setembro sucederá Rodrigo Janot no cargo.
No dia anterior, o advogado de Temer, Antonio Mariz de Oliveira, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o atual procurador-geral, Rodrigo Janot, seja afastado dos inquéritos que investigam o presidente por considerá-lo parcial. Dodge, a segunda mais votada da lista tríplice, não era a candidata de Janot à sua sucessão.
Segundo o Palácio do Planalto o encontro aconteceu a pedido de Dodge, que ligou para Temer pedindo para conversar, e ele, que já estava no Jaburu, a convidou para ir até lá.
“Temer já estava no Jaburu quando recebeu a ligação de Dodge, por isso o encontro não está registrado na agenda oficial” diz a Secretaria de Comunicação da Presidência da República.
Segundo um assessor de Temer, Dodge queria saber se pode realizar sua posse no Palácio do Planalto. Temer disse que sim, e colocou o cerimonial do Planalto à disposição da subprocuradora.
O encontro durou menos de meia hora e foi protocolar, de acordo com o Planalto. O assunto Lava-Jato não teria sido tratado entre os dois. Ela herdará de Janot o comando dos trabalhos sobre a investigação, que tem Temer como um dos alvos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SiteLock