Para conter disputa entre aliados, Temer avisa que indicação à Justiça ficará para depois

O presidente Michel Temer disse na noite de segunda-feira a aliados que não escolherá agora o novo ministro da Justiça. A ideia é aguardar a aprovação no Senado do nome de Alexandre de Moraes para a vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Os partidos já começam a brigar pela vaga, mas Temer disse a um peemedebista que vai esperar um pouco.
Nesta terça-feira, O Jornal O Globo mostrou que as principais legendas da base aliada, PSDB e PMDB já travam uma disputa para indicar o novo ministro.
Temer quer tempo para negociar. Por isso, Alexandre de Moraes pediu apenas licença do cargo de ministro da Justiça. E também para não parecer que já se considera aprovado pelo Senado, embora a base aliada tenha apoiado a indicação.
Para conter a disputa á vaga de Alexandre Moraes, o presidente se reuniu ontem mesmo com aliados para tratar das mudanças e de como será os trabalho na volta efetiva do Congresso. Temer esteve com o presidente nacional do PMDB, senador Romero Jucá (RR), pela manhã e à noite se reuniu com o presidente do Senado, Eunício Oliveira (CE).
INDICAÇÃO DE MORAES
Moraes foi confirmado oficialmente pelo presidente Temer como indicado ao Supremo Tribunal Federal (STF) na vaga de Teori Zavascki, morto no mês passado, no início da noite de ontem. O presidente avaliou que assim também contempla a preocupação de políticos, que queriam alguém não apenas com perfil jurídico.
“Temer ressaltou as “sólidas credenciais acadêmicas e profissionais” de Moraes” anunciou o porta-voz Alexandre Parola.
SiteLock