Diamante de Serra Leoa é vendido por U$6,5 milhões

Serra Leoa vendeu um dos maiores diamantes brutos do mundo por 6,5 milhões de dólares em um leilão realizado em Nova York na segunda-feira para arrecadar fundos para projetos de desenvolvimento no país do oeste africano.
A gema do tamanho de um ovo conhecida como ‘Diamante da Paz’ foi adquirida pelo joalheiro de luxo britânico Laurence Graff, informou Martin Rapaport, presidente do conselho do Grupo Rapaport, uma rede de empresas de diamante que organizou o leilão.



“Cem por cento do valor deste diamante, da venda do leilão deste diamante, irá para o governo e o povo de Serra Leoa. Isso nunca aconteceu antes”, disse Rapaport aos repórteres.
A gema foi descoberta em março em Kono, região do leste do país, por um pastor cristão, que a deu ao governo para que este realizasse a venda.
Foi a segunda tentativa do governo de vender o diamante em maio ele rejeitou 7,8 milhões de dólares, a oferta máxima de um primeiro leilão realizado na capital Freetown.
Antes da venda de segunda-feira a pedra foi exibida a 70 compradores em potencial e recebeu sete ofertas, contou Rapaport.




“Mostramos o diamante em toda parte. Fizemos tudo o que pudemos, e este é o melhor preço que podemos conseguir do mercado hoje.”
A Organização das Nações Unidas (ONU) suspendeu uma proibição de exportações de diamantes em Serra Leoa em 2003, mas o setor de 113 milhões de dólares é prejudicado pelo contrabando.
Os diamantes alimentaram uma guerra civil de uma década em Serra Leoa, que terminou em 2002.
O maior
No misterioso mundo da mineração de diamantes, algumas pedras parecem ser muito grandes para serem vendidas. A Lucara Diamond Corp, do Canadá, teve que cortar seu diamante bruto do tamanho de uma bola de tênis para encontrar um comprador, dizem pessoas da indústria, após um fracassado leilão da Sotheby’s para a maior pedra bruta do mundo no verão passado no hemisfério norte.
Não é o final que William Lamb queria para sua pedra de 1.109 quilates chamada “Lesedi La Rona”, ou “nossa luz”, em uma das línguas oficiais de Botsuana, onde foi obtida.
“É apenas a segunda pedra recuperada na história da humanidade com mais de mil quilates. Por que você iria querer polir isso?”, disse o presidente-executivo da Lucara.
“A pedra em forma bruta contém um potencial incontável… Assim que você polir em uma solução, todo o resto se foi.”
Lamb tinha apostado que os colecionadores ultra-ricos, que compram e vendem obras de arte preciosas por somas recordes em leilões fariam o mesmo com o diamante bruto. (com Reuters)



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SiteLock