Gravação com Temer pode levar Calero a perder emprego no Itamaraty

A iniciativa do ex-ministro da Cultura Marcelo Calero em gravar conversas com colegas de Estado e do próprio Presidente da República Michel Temer poderá custá caro ao servidor de carreira do Itamaraty, caso comprove a veracidade das gravações responderá  a processo crime e consequentemente a perda do cargo no Ministério das Relações Exteriores.
Para o Itamaraty  o envolvimento de um funcionário do Ministério em gravar Chefe de Estado e considerado crime gravíssimo com consequências que poderá levar a perda das funções além de prisão. Até o momento o Ministério aguarda a apuração da Policia Federal, se há ou não as gravações que envolve o presidente da República, caso comprove as conversas gravadas pelo ex-ministro da Cultura, o órgão de Relações Exteriores abrirá processo de demissão de Marcelo Calero.
Na sexta-feira (25) o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), em evento promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), falou sobre as gravações envolvendo um funcionário do Itamaraty, “que a informação de que Ex-ministro da Cultura Marcelo Calero teria gravado o pedido do presidente Michel Temer para que intercedesse no caso se for verdade “é um fato que vai para o Guinness (livro de recordes)”.
Gilmar Mendes, mostrou-se preocupado com ato de ministro de Estado gravar um presidente da República “As coisas acho que a meu ver estão sendo magnificadas. Na verdade há uma grande confusão. Hoje lendo em diversos jornais eu vejo algo assim inusitado, a história de que o ministro teria gravado o presidente da República”, -“De fato se isso ocorreu é um fato que vai para o Guinness, alguma coisa realmente inusitada e claro absolutamente despropositada. Um profissional, do ministério, do Itamaraty, tenha este tipo de conduta suscita realmente bastante preocupação”, disse Mendes em São Paulo.
O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG) e Líderes partidários defenderem nesta sexta-feira (25) que o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero seja investigado por supostamente ter gravado conversa com o presidente Michel Temer.”Há algo aí de extremamente grave e que também tem que ser investigado, o fato de um servidor público, um homem da confiança do presidente da República, com cargo de ministro de Estado, se confirmado isso, entrar com um gravador para gravar o presidente. Isso é inaceitável, é inédito na história do Brasil” disse Aécio.
Para o tucano, Calero poderia, ao gravar deliberadamente Temer, induzir a conversa de forma a prejudicá-lo. “Isso permite a todos nós achar que nessa conversa ele tenha induzido qualquer palavra do presidente. Isso tem que ser investigado porque parece ato passível de punição, por se tratar de Ministro de Estado além de servidor do Itamaraty ” defendeu Aécio Neves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SiteLock