Forças Armadas voltam a ocupar à Rocinha

Tropas das Forças Armadas retornaram à Favela da Rocinha, na Zona Sul do Rio, nesta terça-feira. O coronel Roberto Itamar, porta-voz do Comando Militar do Leste, explicou que os militares fazem uma varredura na região, em busca de armas, munição e explosivos tanto na mata, quanto nas regiões periféricas. A ação é em apoio a uma operação da Secretaria de Segurança (Seseg). De acordo com o Comando Militar do Leste (CML), trata-se de uma operação pontual. Em setembro, as Forças Armadas participaram de um cerco de uma semana à comunidade. Ainda não há detalhes da ação da Secretaria de Segurança na região. Durante a madrugada desta terça-feira, não houve registro de confronto na Rocinha..
Não é uma operação de cerco, mas uma operação de apoio técnico à Secretaria de Segurança. Técnico no sentido de operação de varredura, um trabalho que emprega detectores de metais e de pólvora, para localizar material que esteja escondido e que foi levantado pela Inteligência. Essa varredura está sendo realizada por equipes da engenharia e com equipes de segurança locais. Estão sendo procurados armamentos, munição, explosivos, todos esses materiais que estão sendo usado pelas facções criminosas na região da Rocinha – afirmou, em entrevista ao telejornal “Bom Dia Rio”.
Itamar detalhou que as buscas estão sendo feitas para localizar os locais de esconderijo de suprimentos das facções tanto nas matas quanto nas regiões periféricas. As Forças Armadas empregam 550 militares nos trabalhos de varredura e segurança dessas equipes.
Apesar da movimentação dos militares, a circulação de pessoas acontecia normalmente na Rocinha, por volta das 6h40: crianças iam para a escola e moradores aguardavam nos pontos de ônibus em frente à comunidade. O comércio da região também funciona normalmente.
Nesta segunda-feira, a Polícia Militar prendeu o segurança do traficante Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Adaílton da Conceição Soares, o Mão, de 32 anos foi encontrado em uma casa no bairro Rodilândia. O suspeito foi capturado por policiais do Setor de Inteligência da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) e da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacarezinho.
Também nesta segunda, a Rocinha viveu um dia tenso, com tiroteios ocorrendo em alguns momentos. Dois homens foram encontrados mortos por PMs na parte alta da favela. Os corpos foram localizados próximo à Rua Um.
Informações preliminares dão conta de que uma das vítimas, Evandro Agapito Rodrigues de Souza, de 29 anos, era conhecida como Gordo e trabalhava como padeiro em um estabelecimento na comunidade. Segundo a polícia, ele não tem antecedentes criminais. Ainda não há detalhes sobre a outra vítima, identificada como Emerson Werllan de Souza Rodrigues, de 22 anos.
A GUERRA NA ROCINHA
Rogério 157 é um dos protagonistas da guerra na Rocinha. No dia 17 de setembro, moradores da comunidade testemunharam o confronto entre traficantes. Cerca de 60 bandidos ligados a Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem que está preso num presídio federal em Porto Velho invadiram a comunidade para expulsar Rogério 157, seu antigo aliado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SiteLock