Caso Maddie. Detetive particular dos McCann encontrado morto e coberto de sangue

O detetive que cobrou 330 mil euros a Kate e Gerry para encontrar Maddie McCann, menina desaparecida no Algarve a 3 de Maio de 2007, foi encontrado morto e “coberto de sangue”.
Kevin Halligen, o detetive particular contratado para encontrar Madeleine McCann e posteriormente acusado de burla pelos McCann, foi assassinado na segunda-feira, aos 56 anos, avançou este sábado o “Daily Mail”.
O corpo do detetive foi encontrado numa propriedade perto de Guildford, Inglaterra, na segunda-feira.



Não há qualquer suspeita de envolvidos no assassinato, garantiu um porta-voz da polícia à mesma publicação. “Fomos chamados para uma morada em Cobbett Hill Road, Guildford, na segunda-feira, após termos recebido o alerta de que um homem em 50 anos estaria mal”, declarou.
“A morte está a ser tratada como inexplicada”, acrescenta, revelando ainda que a casa na qual o detetive foi encontrado é a mesma onde vivia com a namorada e que o presumível local do crime estava “coberto de sangue”.
Recorde-se que Kevin Halligen foi contratado pelo Fundo “Encontrem a Madeleine” para procurar a menina britânica desaparecida no Algarve em Maio de 2007. Apresentou-se como “um verdadeiro James Bond” e prometeu contratar detetives privados, apresentar imagens de satélite e um relatório das chamadas telefônicas feitas na noite do desaparecimento, mas acabou acusado de burla e procurado pelo FBI, pois não era a sua única acusação de fraude.
O desaparecimento de Maddie, que ocorreu em 3 de maio de 2007, tornou-se o grande assunto do ano do ponto de vista mediático, com a imprensa portuguesa, há dez anos, a dedicar páginas e páginas de investigação e as televisões a abrirem noticiários em direto da Praia da Luz, em Lagos, no Algarve.(N-TV)

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *