Provocação: boneca decapitada e banha de sangue na mesquita de Amsterdã

Uma boneca decapitada foi deixada em uma mesquita em Amsterdã, segundo a polícia, em um ato islamofóbico que chocou a comunidade muçulmana na Holanda.
A cabeça foi pendurada por uma corda de uma cerca acima do “corpo manchado de sangue” da boneca, as imagens mostraram, e uma nota foi deixada em alerta contra a “islamização” na Holanda.



Um funcionário da Mesquita Emir Sultan encontrou a boneca ao abrir o local de culto na manhã de quinta-feira e informou a polícia.
A nota sobre a boneca, aparentemente referenciada ao presidente turco, Recep Tayyip Erdogan , disse: “O islã está inextricavelmente ligado a decapitações brutais. A islamização deve parar. Não à mega-mesquita Diyanet em Amsterdã-Noord (norte), que está ligada ao ditador Erdogan “.
A Mesquita Emir Sultan serve uma comunidade predominantemente turca no norte de Amsterdã.
Em uma declaração à imprensa holandesa, a Emir Sultan Islamic Foundation chamou de “um ato covarde e nocivo”.
“É claro que estamos chocados e condenamos esse ataque covarde, mas não nos deixamos intimidar e jogar uns contra os outros”, diz o comunicado.
“Continuaremos a se perfilar como parte da sociedade e continuar a trabalhar para a preservação da paz e da solidariedade em Amsterdã-Noord. Solicitamos a todos que mantenham a calma e aguardem a investigação policial”, acrescentou.
Kamber Sener, presidente da mesquita, escreveu no Facebook, pedindo à comunidade “não se preocupar com esse incidente”.
“Espero que encontrem os perpetradores assim que puderem”, ele escreveu, pedindo que a cidade se unisse contra tais atos.
O ato foi reivindicado via Twitter por um grupo de direita chamando-se Rechts em Verzet, ou Right in Opposition.

O grupo rendeu fotos da boneca e a nota para várias organizações de notícias neerlandesas, acrescentando o tweet: “Decapitação! Nenhuma mega mesquita em Amsterdã-Noord. Protesto”.
A pessoa que executou a conta do Twitter também estava sob investigação, informou o canal de TV local da Amsterdã AT5.
O grupo de protesto criticou anteriormente a chegada de uma mega-mesquita em Amsterdã-Noord.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *