Academia do Oscar fará reunião para discutir acusações contra Harvey Weinstein

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que organiza o Oscar, disse nesta quarta-feira que realizará uma reunião especial no sábado para discutir as alegações contra o produtor Harvey Weinstein.
“A Academia considera repugnante, abominável e antiética a conduta descrita nas alegações contra Harvey Weinstein, perante os elevados padrões que a Academia e a comunidade criativa representam”, disse a entidade em um comunicado.
“A diretoria realizará uma reunião especial no sábado, dia 14 de outubro, para discutir as alegações contra Weinstein e quaisquer ações a serem tomadas pela Academia.”
Uma porta-voz de Weinstein, Sallie Hofmeister, não respondeu imediatamente a pedidos de comentário sobre o posicionamento da organizadora da cerimônia do Oscar.
O comunicado vem após acusações de que Weinstein abusou sexualmente de diversas mulheres nas últimas três décadas. Ele nega ter mantido relações sexuais não consensuais.
Nesta quarta-feira, Harvey Weinstein foi suspenso da academia britânica de filmes Bafta.
Weinstein tem uma estatueta do Oscar, conquistada em 1999 após vencer o prêmio de melhor filme com “Shakespeare Apaixonado”.

O Caso

A atriz italiana Asia Argento e outras duas mulheres acusam o produtor de Hollywood Harvey Weinstein de tê-las estuprado, as acusações veio através da revista “New Yorker”. A publicação também divulgou uma gravação da polícia na qual ele tenta convencer a uma modelo, que o acusa de abuso, a entrar em seu quarto de hotel.
De acordo com a publicação, as acusações dessas mulheres contra Weinstein incluem sexo oral indesejado e forçado e relação sexual forçada.
O produtor negou as acusações, de acordo com uma declaração de sua porta-voz, Sallie Hofmeister. “Qualquer alegação de sexo não consensual são negadas inequivocadamente pelo senho Weisten.”
Há duas semana, o jornal “New York Times” publicou que ele fez pelo menos oito acordos não divulgados com mulheres envolvendo “assédio sexual e contato físico indesejado”. Após a revelação, Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow e outras atrizes também disseram que foram assediadas pelo produtor.
Após as acusações, Weinstein foi demitido de seu estúdio cinematográfico, a Weinstein Company. “Eu admito que o jeito que me comportei com colegas no passado causou muita dor e peço sinceras desculpas por isso. Embora eu esteja tentando melhorar, eu sei que tenho um longo caminho a percorrer”, disse ele em uma declaração enviada à imprensa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SiteLock